SER, PARECER, SABER

Trago em minhas mãos, em oração

O que ora sei e o que ora sou.

Dentro, está tudo o que sei;

Fora, o que nem sei, nem sou.

Ser e saber em comunhão!

Se pouco sei, não sei quem sou.

Quanto mais sei, sei que não sei.

Se menos sei, penso que sou.

Assim também, quanto mais sou

Sei quanto sei, e o que não sei.

Se é jovem, diz: “eu tudo sei!”

Mais velho, vê: “quão pouco sou!”

Articular ser e saber

Diz do que sei e do que sou.

E do que penso do que sei

Na condução do bem viver.

A regra é uma, isso eu sei,

Me disse um sábio, em um instante:

Quando somamos o que sou

E o que quero parecer…

…A soma é uma constante!

                        *******

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *